Cinderella

A Cinderella já estreou! Quem me conhece sabe que era imperativo ver. Esta maluquinha por filmes da Disney não podia faltar. Vocês por acaso conhecem alguém que não goste dos filmes da Disney? Eu não! Não vou mentir, as expetativas eram altas, muito altas! Passe o tempo que passar, eu serei sempre uma “menina Disney”. Adoro estes novos filmes da Disney que reinventam os velhos Contos de Fadas (como Maléfica e a Alice no País das Maravilhas). E agora a Cinderella, a minha princesa favorita! Conseguem imaginar o meu entusiasmo?

Às vezes não sei de onde vem tamanha magia, tamanho encanto... É toda uma infância, ou melhor, toda uma vida a ser "disneydependente". Pensem num filme qualquer. Eu garanto-vos que o tenho! No meio da minha montanha de cassetes lá estará. Sim, cassetes! Daquelas de fita e tudo. Daquelas em que a Branca de Neve e a Ariel falam em português do Brasil! Umas autênticas relíquias.

Todos conhecemos a história. Cinderella é uma menina órfã que vive com a madrasta e as duas meias-irmãs. Vive para as agradar, trabalha e trabalha sem receber nada em troca. Um belo dia o Rei organiza um baile, todas as jovens solteiras do reino (nobres ou plebeias) estão convidadas. Como é óbvio não pode faltar. Cinderella desperta a curiosidade de todos no baile, encantando o príncipe. Depois de algumas peripécias pelo meio (vejam lá que a rapariga teve de sair à pressa do bailarico, perdeu um sapato e foi descalça para casa) apaixona-se irremediavelmente pelo príncipe (e ele por ela). O príncipe procura a dona do sapato perdido (nem o nome dela sabia!). Lá encontra a única rapariga do reino que calça 34. Casam e vivem felizes para sempre.

Agora, vamos falar de coisas sérias. Os cenários e o guarda-roupa (ai o guarda roupa!) são de sonho! Ai aqueles vestidos! Embora me pareça que o vestido de baile pese mais de 20 quilos (nem sei como é que ela anda a dançar e andar aos saltinhos com aquilo!) a verdade é que é deslumbrante. Mas a medalha de ouro do guarda-roupa vai para os sapatos de cristal. A Swarovski conseguiu criar os sapatos de cristal mais conhecidos de sempre, e os mais bonitos também! Até já me estou a imaginar a calçar aqueles lindos sapatinhos. Provavelmente iria ficar com uma dor de pés insuportável, mas como diz o ditado “quem tem brio não tem frio” (neste caso quem tem brio tem de aguentar com as dores!). 


Kenneth Branagh conseguiu realizar uma obra com uma classe e beleza incomparáveis! Foi capaz de captar a atmosfera do filme e trazê-la para a realidade. "Cinderella" capta o espírito do clássico filme, respeita-o. Por isso, e por não terem destruído o meu filme favorito da Disney estou eternamente grata.