Strudel da minha vida

Lisboa encanta-me todos os dias. Em cada canto surge um sítio ou uma pessoa que me fascina.

Hoje foi o meu dia de folga (e bem merecido, a redação da Renascença não tem parado!). Ganhei toda a força que estava a precisar para enfrentar o domingo e feriado de trabalho que se avizinham.

Decidi ir desbravar mais um pouco da cidade que me acolhe. Meti na cabeça que ia à Padaria Portuguesa. Não fui. Fiquei pelo caminho. Perdida pelas ruas de Lisboa encontrei o café que passará a ser o meu refúgio, o meu local de descontração, quando o que quero é fugir de casa ou da redação.

Como sabem (caso não saibam passam a saber) à seis meses atrás dei uma volta de 360 graus na minha vida. Queria ser mais saudável. Precisava de ganhar peso (ao contrário das pessoas normais que vão para o ginásio para emagrecer eu fui fazer o contrário). Voltei ao inscrever-me no ginásio e mudei radicalmente a minha dieta, nada de gorduras, nada de fritos, nada de açúcares. Mas... de todas as porcarias os doces, bolos e bolinhos são a minha maior fraqueza. As minhas "cheat meals" são isso mesmo DOCES! 

A partir de agora e para sempre a minha hora de pecado já tem lugar marcado: Strudel.



Abrimos a porta e somos invadidos por um cheirinho delicioso de pão acabado de fazer. Música jazz está no ar. E depois a montra: colorida, chamativa, diversificada, deliciosa. Apetece provar tudo: tartes, scones, croissants, bolos e bolinhos, pão, doces e geleias.. Já estão a imaginar? E depois os chás (e para esta viciadíssima em chá é um sonho!), o chocolate quente (que é o melhor que eu já provei!), o café... 





Provei o doce que dá nome à casa: um Strudel de maçã. Nunca tinha provado. Não é que adorei? O sabor da maçã misturada com um leve creme de baunilha é de levar uma pessoa ao céu! 




Fiquei lá horas a trabalhar e nem dei pelo tempo passar (e ainda por cima têm wi-fi grátis!). Quando dei por mim, lá fora, a noite já tinha caído. Era hora de voltar a casa. Estou feliz. Lisboa encanta-me todos os dias. Espero que o encanto nunca acabe.