Dia Zero

O dia era de nervos. Às onze horas tinha de me apresentar no edifício do Rádio da Renascença. Mais uma vez a ansiedade levou o melhor de mim. Acordei antes do despertador. Levantei-me sem custo. Preparei-me num piscar de olhos. Sai de casa em direção ao metro. O receio de me perder ou enganar era esmagador. Não me enganei. Cheguei inteira ao destino: Chiado. 


No metro encontrei uma colega, a Mafalda. Trocámos palavras, experiências, conselhos. Não podia ter ficado com melhor colega. Seguimos juntas pelas ruelas do Chiado. Cortámos na Rua Ivens. Ao fundo lá estava a Renascença.







Fomos as primeiras a chegar (não podia ser de outra maneira, detesto chegar atrasada seja onde for, se for preciso estou lá um quarto de hora antes da hora marcada - manias!). Anunciámos a nossa chegada ao segurança. Passados alguns minutos avistamos a esfuziante e simpática Carla Fino. Nas horas seguintes explicou-nos como tudo vai funcionar. Dividiu os turnos. Apresentou-nos à redação (aos futuros colegas e quiçá mentores). Mostrou-nos as instalações. Hoje o dia não foi de trabalho, esse começa amanhã. Despedimos-nos e mergulhámos no Chiado.

O dia estava lindo, morno e soalheiro. Segui com as minhas colegas. A conversa estava animadíssima e cativante. Sentamos-nos na esplanada d' "A Brasileira". Não demos pelo tempo passar.  Foi um bom começo. Agora que venha o trabalho!