"Menina e Moça"

O dia começou bem cedo. Avizinhava-se mais uma longa viajem até Lisboa. Às nove e meia já me fazia à estrada, desta vez com companhia: o meu "tio-padrinho". Três horas passaram. Entre conversas o tempo passou a voar.

O dia estava lindo. O sol decidiu brindar-nos com a sua presença. A tarde estava morna, ideal para um passeio. O Chiado chamava por mim, não lhe podia fazer uma desfeita. Com a melhor das companhias segui de metro até ao destino. A viagem foi curta. 


Ao sair do subsolo fui cumprimentada por um rosto conhecido. Lá estava Fernando Pessoa, sentado na mesa habitual d' "A Brasileira". Como fiel leitora e fã incondicional do escritor fui me sentar com ele por breves momentos, a conversa foi curta.



Só tenho uma coisa para dizer: o Chiado é lindo! Cores, formas, sensações tão diferentes que no todo fazem do Chiado único. Edifícios antigos restaurados lindíssimos, lojas e mais lojas. A música anda no ar, os artistas de rua inundam o espaço. Somos invadidos por aromas de outro mundo: geladeiras, salões de chá, pastelarias... (Só de pensar que no próximo mês e meio vou estagiar para aquele lugar fico logo com um sorriso de orelha a orelha). 





Sigo por entre as ruas. Avisto um gigante ao fundo. Imponente lá está o Arco da Rua Augusta, o triunfo de Lisboa. 









Olho um pouco mais longe. Do Terreiro do Paço avisto o Tejo. Como estava lindo o Tejo! O sol estava a pôr-se no horizonte. Mágico!






Era hora de voltar para trás, mas a magia não cessou. Já há muito tempo de ouvia falar de uma geladeira lisboeta fantástica: Santini. Qual não é o meu espanto quando encontro uma no Chiado. Tive de entrar. Estou completamente rendida aos gelados da Santini. São absolutamente deliciosos! (Não estou a mentir, acreditem). 




Estava no hora de voltar para casa. Despedi do Pessoa antes seguir para o metro. Fiz aquela viagem cansada mas feliz, muito feliz. 

Por entre ruas e ruelas me perco e me encontro, e encontro Lisboa. Começa a entranhar-se em mim. O fascínio não tem fim. Algo maravilhoso está a acontecer: estou-me a apaixonar! É a melhor sensação do mundo. Todos os dias esta "menina e moça" se mostra para mim. Todos os dias a vejo. Todos os dias a admiro. Todos os dias a amo mais um pouco.



 Fotografia: Marta Matos